O mistério da entrada dos haitianos no Brasil pelo Acre

28 de maio de 2014
O Haiti não é aqui.
O Brasil não faz divisa com o Haiti.

Este texto foi enviado ao jornalista Rubens Pontes por um colega de Brasília. Ele pede para manter seu nome em sigilo porque trabalha numa empresa estatal.


Papa Doc e Baby Doc, pai e filho: poder absoluto de 1957 a 1986 com uma força fora da lei, as milícias.


Está até bem longe do Haiti e jamais teve qualquer tipo de relação verdadeira.

Até hoje ninguém entendeu porque Lula insistiu que se mantivesse uma força de “paz” de soldados brasileiros - mais de 2 mil soldados - no Haiti, sob um custo absurdo de dinheiro dos cofres brasileiros por tanto tempo.

Que se fizesse uma vaquinha de dinheiro de alguns países, que o Brasil participasse desta vaquinha, mas não deixar lá soldados brasileiros que não tinham a menor ideia do que faziam ali.

Na época falavam em 2 bilhões de dólares de custo.
Isto é coisa para Estados Unidos, Rússia e Japão, não para o Brasil ficar bancando.

Passa o tempo ..

De repente começa a entrar uma quantidade enorme de haitianos - fala-se em 20 mil - no Brasil, sem documentação, sem autorização, justamente pelo estado governado pelo PT, que é o Acre.

Onde estava o general Enzo, conhecido por ser comandante do Exército?

Aliás, o general Enzo já deveria ter renunciado ao cargo no dia em que não teve coragem de cumprir o Regimento do Exército e tirar a medalha dada a José Genoino, pois,, pelo Regimento, se algum ganhador da medalha for condenado por algo no futuro o Exército cassa a medalha.

Pergunto de novo onde estava o general Enzo que não tomou atitude de guarda constitucional da fronteira e
permitiu a invasão de 20 mil haitianos que vieram de um país que não tem fronteira com o Brasil?

Será que não funciona mais aquele serviço de inteligência do Exército que tão bem funcionava antes?
Vamos mais longe pra cumprir o pensamento.

O Haiti fica longe do Brasil.
Alguém forneceu a logística para que 20 mil haitianos viessem até a América do Sul e entrassem justo no Peru.

Por que o Peru?
Porque o Peru faz divisa com o estado governado pelo PT, o Acre.

Isto é matemática e inteligência de guerra que o general Enzo deveria conhecer e não demonstrou nada.

Os Haitianos vem de longe, sem dinheiro, em logística que custa caro e alguém organizou e pagou, pra entrar na América do Sul pelo Peru que fica na divisa com o Acre.

Lógico que o Peru não queria acolher os haitianos porque eles não têm qualificação profissional.

Aliás, a Polícia Federal descobriu que muitos têm qualificação, sim: são milicianos no Haiti e formam aquele bando de gente fora da lei.

Agora, o governador do Acre arrumou dinheiro pra mandar os haitianos pra São Paulo.

E o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, do PT, já tinha todo o material preparado para acolher os haitianos, colocando uma tropa de trabalhadores pra deixar em boas condições um galpão bem reformado com todas as boas condições de sobrevivência.

Este é o mesmo prefeito do PT que deixa nas ruas sem resolver os brasileiros que não têm teto e um grande número de moradores de rua.

Será que só eu, que não tenho curso na Escola Superior de Guerra, estou vendo toda uma trama de guerrilha arquitetada pelo PT?
Será que apenas eu , que não sou jurista constitucionalista, vi a invasão do território nacional permitida pelo PT?
Será que só eu, que não sou militar, vi aquilo que o general Enzo deveria ter visto?

Alguns vão dizer que esta linha de raciocínio é surreal.
Diziam exatamente a mesma coisa quando Fidel Castro foi menosprezado e montou a invasão de Cuba com sua tropa, que os cubanos consideravam irreal e absurda e supostamente não poderia existir.

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ: 15.265.070/0001-49